segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Marinha aguarda proposta de ação de retirada de navio naufragado, no PA

 

Do G1 PA
Um homem caminha ao lado de carcaças de bois na praia do Conde em Barcarena, no Pará. Na última terça-feira (6), uma transportadora de gado carregado com cerca de 5 mil animais naufragou no porto da Vila do Conde, em Barcarena (Foto:  Tarso Sarraf/Reuters)O navio Haidar naufragou há quatro meses com cerca de cinco mil cabeças de bois vivos, algumas carcaças chegaram as praias próximas ao porto. (Foto: Tarso Sarraf/Reuters)
A Marinha prorrogou até esta segunda-feira (22), o prazo para que os responsáveis pelo navio Haidar, que naufragou com bois vivos no Poro de Vila do Conde, em Barcarena, nordeste do Pará, apresente o nome da empresa que vai retirar a embarcação do fundo do rio Pará. A Capitania dos Portos foi informada que foram recebidas oito propostas de empresas, mas até agora nenhuma foi escolhida.

O Armador do navio e os advogados informaram na última sexta-feira (19), que as oito empresas que estão participando da licitação e elaborando os planos de salvamento do navio apresentaram os planos de ação durante a última semana, e que em virtude disso os projetos ainda estariam em análise, por serem extremamente técnicos e envolverem métodos distintos.
 
A Marinha considerou necessária uma complementação da resposta oficial e determinou o envio de todos os dados já obtidos relacionados à ação.

O navio de bandeira libanesa naufragou no dia 6 de outubro de 2015, com cerca de cinco mil bois vivos e 750 mil litros de combustível. Parte vazou e o óleo chegou às praias próximas, contaminando o rio Pará. A barreira de contenção que isolava a área se rompeu cinco dias após o acidente e vários animais mortos apareceram na praia de Vila do Conde.

Processo
A Associação Brasileira dos Exportadores de Bovinos e Bubalinos (ABEBB) também vai cobrar os responsáveis pelo navio. A associação anunciou que vai entrar com ação na Justiça pedindo o ressarcimento pelos prejuízos causados pelo acidente as empresas associadas à entidade.
 
  •  
Mancha Óleo Barcarena Naufrágio Bois Morrem (Foto: Reprodução/TV Liberal)O navio naufragou no dia 6 de outubro de 2015,
com cerca de cinco mil bois vivos e 750 mil
litros de combustível. (Foto: Reprodução/
TV Liberal)

Nenhum comentário:
Write comentários