domingo, 31 de janeiro de 2016

Fuzileiros Navais irão combater o mosquito Aedes aegypti nas ruas

 



A mobilizção das forças armadas e o início da guerra declarada contra o mosquito

O ministério da defesa com parceria com ministério da saúde anunciou no início de janeiro guerra declada contra
o mosquito Aedes aegypti, as 3 forças militares Marinha, Exército e Aernáutica estão mobilizadas e empenhadas em
combater o vírus do mosquito transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela.

Estão sendo eliminados recipientes como: copos descartáveis, garrafas pet, pneus, além do cuidado
redobrado com as caixas d'água, ralos, boeiros, tonéis, entre outros que possam ser criadouros do mosquito transmissor
da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela.


Faxina no Quartel

A primeira etapa da campanha de combate ao mosquito Aedes aegypti, realizada pelo Comando dos Distritos Navais iniciou,
no dia 19 de janeiro, com um mutirão para eliminar focos de proliferação do mosquito em todas as suas Organizações
Militares (OM) subordinadas e localizadas no País. A iniciativa do mutirão nas áreas internas das OM segue até o dia
4 de fevereiro.


Almirante-de-Esquadra (FN) Fernando Antonio de Siqueira Ribeiro inspecionando a existência de possíveis focos do Aedes aegypti


No Centro de Adestramento da Ilha da Marambaia e no Comando do Desenvolvimento Doutrinário do CFN as ações foram acompanhadas
pelo Comandante-Geral do CFN, Almirante-de-Esquadra (FN) Fernando Antonio de Siqueira Ribeiro.


O Papel do Corpo de Fuzileiros da Marinha do Brasil

No dia 29 de janeiro, nas 13 Organizações Militares do Comando-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais (CGCFN), foi realizado
um mutirão de limpeza para combater o mosquito Aedes aegypti, com a participação direta dos Almirantes e Comandantes.

Nas próximas fases, as Organizações Militares do CGCFN participarão na mobilização da população em domicílio em parceria
com os governos estaduais e municipais, cerca de 2.970 militares da Marinha farão a distribuição de material impresso com
orientações para que a população se informe e se engaje no combate ao Aedes aegypti. No panfleto constará um número de telefone
local para envio de denúncias sobre possíveis focos de proliferação do mosquito, no combate ao mosquito e no trabalho de conscientização
em unidades de ensino.


Militares em ação com a prancheta na mão

Ainda em fase de discussão entre os Ministérios da Saúde, Defesa e Educação, prevê o emprego de efetivos militares de todas
as 3 forças militares em visitas as escolas e residencias por sub áreas dos estados brasileiros os militares estarão diretamente
envolvidos no combate ao mosquito. Essa fase do trabalho será realizada em uma ação também coordenada com as autoridades locais
e terá visitas domiciliares, acompanhados de agentes de saúde, para inspecionar possíveis focos de proliferação, orientando os
moradores e, se for o caso, fazendo aplicação de larvicida em criadouros. A meta é reforçar o trabalho de conscientização
das crianças e adolescentes sobre como evitar a proliferação do mosquito transmissor.

Nenhum comentário:
Write comentários